Música-Ambiente-Como-utilizar-no-seu-Mercado

Música Ambiente: Como utilizar no seu Mercado

  • A música ambiente é um bom recurso para aumentar as vendas, mas precisa ser usada de maneira adequada.
  • É preciso fazer uma boa pesquisa para escolher bem o ritmo que irá tocar na loja, pois isso tem poder de influenciar o comportamento dos clientes.
  • Ela precisa ser um elemento neutro: não pode ser executada em som muito baixo, de maneira inaudível, e nem muito alto, de forma irritante.
  • Também é preciso escolher muito bem as músicas que irão integrar a lista para que não causem distrações nos clientes no momento da compra.

A música ambiente é um dos recursos mais antigos para conquistar clientes e fazer com que eles apreciem melhor o momento em que estão na loja. Por causa disso, muitos estudos já foram feitos para avaliar se ela ajuda ou não a aumentar as vendas e a resposta para essa questão depende de como o estabelecimento utiliza as trilha sonoras.

As canções podem ser um bom recurso para influenciar o comportamento dos clientes dentro do estabelecimento, mas não podem ser tocadas de forma aleatória. As faixas, o volume e até a qualidade do equipamento de som precisam ser levados em conta na hora de estabelecer uma trilha sonora para a loja, caso contrário, o efeito pode ser inverso e desestimular o cliente a comprar.

Uma pesquisa feita pela Heartbeats International mostrou que 44% dos clientes saem mais rápido do estabelecimento quando toca algo que não lhes agrada. Por outro lado, 30% deles optam por passar mais tempo no local quando gostam da música e 14% deles acabam fazendo mais compras. 

As faixas musicais podem ser uma boa alternativa para criar uma identidade para a loja, estimular funcionários a trabalharem e até mesmo uma solução para divulgar produtos, serviços e ofertas. Tudo isso depende de um bom uso das soluções de áudio e, para ajudar, separamos boas dicas que podem contribuir com a execução da música ambiente das formas mais adequadas para o comércio.

Qual Música Colocar?

As músicas não podem estar sujeitas ao gosto pessoal de nenhuma pessoa. Dentro dos pontos de venda, cada faixa possui um propósito muito bem definido, pois a partir do momento em que há algo tocando, os clientes da loja emitirão julgamentos sobre isso e, se o som for desagradável, a experiência do consumidor dentro do ambiente também será.

Para escolher uma playlist, é necessário levar em consideração alguns fatores, como: qual é o gosto musical do seu público; hábitos de consumo e estilo de vida; quais são as faixas etárias das pessoas que vão ao estabelecimento. Com base nessas informações, as lojas devem criar uma lista com algum conceito e escolher o estilo das faixas.

Se o comércio é popular, não basta tocar as músicas mais executadas nas paradas de sucesso de forma aleatória. As canções são uma forma de manter a identidade do estabelecimento, portanto, as playlists devem ser montadas com foco em um objetivo. Além disso, a importância de escolher bem a lista pode influenciar o comportamento do cliente no momento de fazer as compras.

Estudos mostram que a música calma ajuda o consumidor a desacelerar, olhar produtos com mais calma e levar mais coisas, enquanto as mais rápidas fazem com que eles escolham mais produtos por impulso e saiam do local mais depressa. Use os rítmos para influenciar o comportamento do consumidor no estabelecimento, mas tenha atenção à sua equipe, pois canções muito maçantes reduzirão a produtividade dela.

Controle o Volume

O objetivo da música é tornar o ambiente de vendas um local mais agradável para se fazer compras. Isso ajuda a inibir ruídos de conversas, barulhos da loja ou de ambientes externos que não estimulam sensações agradáveis. No entanto, o volume das canções também possui um papel importante para estimular uma experiência de compra mais positiva.

Sons muito baixos são difíceis de serem ouvidos e não cumprem o propósito da música ambiente, porém volumes altos demais podem causar sensações extremamente desagradáveis no consumidor, tornando-se um fator irritante para ele, o que pode motivá-lo inclusive a sair mais rápido do ponto de venda.

É importante prestar atenção ao ruído ao longo de um dia para ajustar o som da loja de acordo com ele. Normalmente, os estabelecimentos adotam um padrão em que começam o dia com o som um pouco mais baixo, aumentam durante a tarde e diminuem novamente após o horário de pico, no início da noite. Porém, cada comércio deve regular a música de acordo com a demanda.

Comerciantes que pretendem usar faixas musicais em seu estabelecimento devem escolher um bom equipamento de áudio. Aparelhos ruins, que emitem muito ruído ou que não possuem uma boa equalização de áudio, podem causar um ruído tão irritante quanto aqueles que colocam um som muito alto. Isso é fundamental para tocar canções em boa qualidade.

Evite Músicas que Distraiam os Clientes

A canção, muitas vezes, pode funcionar como um distrativo para os clientes. Portanto, é necessário escolher bem o que tocar. Isso acontece principalmente nos hits, as músicas mais conhecidas, pois os consumidores passam a focar sua atenção mais no som do que nas prateleiras, e isso pode evitar que ele leve outros produtos.

Se, por um lado, a música deve ser calma e executada em um volume agradável, por outro, também não pode chamar muita atenção para si. Os clientes devem perceber que ela está tocando, mas o foco ainda deve ser as compras. Ou seja, é possível colocar algumas canções com gêneros mais populares, mas é importante que não sejam tão conhecidas.

Os grandes hits causam muita distração nos consumidores durante o momento da compra. Eles podem até contribuir para que os compradores passem mais tempo na loja, mas também acarretam um impacto negativo nas vendas, pois a falta de atenção faz com que eles deixem de observar e levar mais produtos das prateleiras da loja.

As músicas conhecidas não acarretam impactos somente no comportamento dos consumidores. Por chamarem muita atenção, os hits famosos também podem levar a equipe de trabalho a se distrair durante o exercício das funções, o que pode causar uma queda na produtividade.

Divulgação de Promoções

O sistema de som não precisa ser usado somente para tocar músicas. Os estabelecimentos podem aproveitar a programação para divulgar promoções, serviços, produtos e dicas. Essa comunicação com o cliente é uma boa forma de dar destaque para mercadorias ou de transmitir informações úteis ao consumidor e que também possam gerar retorno para o comércio.

Esses anúncios auditivos são conhecidos como spots sonoros. Podem ser espalhados por todos os corredores e podem ser usados para incentivar o cliente a percorrer mais espaços no interior da loja. Também são uma boa forma de aumentar compras por impulso através da divulgação de mercadorias ou ofertas de produtos que os clientes não estavam pensando em levar a princípio.

Os spots sonoros são uma ótima alternativa para gerar engajamento entre os consumidores e também são excelentes para divulgar promoções, sorteios ou informações que às vezes os clientes acabam ignorando por não saberem do que se trata. Na prática, isso pode ajudar o comércio a impulsionar as vendas e aumentar os lucros.

É importante ter em mente que o som é um estímulo sensorial. Portanto, é sempre importante procurar algo que seja um pouco mais neutro, mas agradável ao cliente. Mais do que aumentar as vendas, o objetivo principal deve ser proporcionar uma boa experiência de compra para o consumidor. Por isso, mesmo que a música seja um recurso que precisa de cautela, pode ser um aliado importante para as vendas.

Conclusão

Existem muitos estudos que mostram que a execução de música nos pontos de venda pode ajudar a aumentar as vendas. As lojas podem usar isso para estimular o comportamento do consumidor, criar uma identidade e até mesmo divulgar mercadorias, ofertas e informações que possam ser relevantes para os clientes.

Para isso, os estabelecimentos devem fazer uma pesquisa para descobrir o estilo de música mais adequado para atender o seu público consumidor e ter atenção aos ritmos, pois as canções lentas ajudam os clientes a observarem as prateleiras e o interior da loja com mais calma. Portanto, as playlists precisam ter objetivos definidos e não podem ser elaboradas de maneira aleatória.

O volume também é um fator importante para influenciar o comportamento do consumidor dentro do estabelecimento. Um volume muito baixo pode ser inaudível e não propagar a música, enquanto sons muito altos ou estridentes podem irritar os clientes e influenciá-los a querer sair do local. Nessa hora, é importante não só regular bem os aparelhos, mas também certificar-se que são de qualidade.

Também é importante tocar músicas que são um pouco menos conhecidas, pois os grandes hits podem ser um distrativo para o cliente no momento da compra, o que pode impactar no faturamento da loja. Isso também pode afetar a atenção da equipe de funcionários. Portanto, não há problemas em tocar estilos populares, mas é melhor dar preferências para canções menos famosas.

O sistema de som e a reprodução musical também são uma boa oportunidade para fazer anúncios de ofertas, promoções e produtos como forma de engajar clientes e dar informações que poderiam passar despercebidas para eles. Essa é uma ótima forma de chamar atenção para itens que precisam ter uma saída melhor, o que pode ajudar a aumentar as vendas e os lucros.

Links Para Leitura