10 Dicas de Gestão para Mercearias e Pequenos Mercados

  • Uma boa organização de estoque é um dos pontos chave para qualquer mercado.
  • Investir em solução digital hoje não é mais só um diferencial, é uma necessidade urgente.
  • Sim, é possível obter bons resultados mesmo diante de uma grande concorrência.

Atender as necessidades de clientes, fidelizá-los e estar um passo à frente da concorrência são, na maioria das vezes, umas das tarefas mais desafiadoras para um gestor de varejo. Segundo o Sebrae o índice de sobrevivência das empresas com até dois anos é de 58%, e boa parte disso deve-se à estratégia adotada.

O fato é que, o setor de mercearias hoje, sejam elas pequenas ou médias, precisa obter boas vantagens contra uma concorrência cada vez mais crescente de super e hipermercados. E isso só é possível através de uma gestão que conhece bem toda a estrutura do seu negócio e para quem ele vende.

Sendo o segmento de minimercados considerado o segundo maior do país em número de pequenos negócios, representando 6% do PIB nacional, e respondendo cerca de 35% das vendas do setor supermercadista, é imprescindível que as mudanças e tendências de mercado sejam acompanhadas para que as estratégias de gestão sejam eficazes.

Por isso, para ajudar você, gestor ou dono de uma mercearia de bairro, a garantir alguns anos de sucesso em seu negócio, elaboramos 10 dicas eficazes de gestão que podem ajudar nisso. Confira!

1. Dê Importância ao Gerenciamento de Estoque

A gestão de estoque consiste no bom planejamento, execução e controle de todo produto ou recurso dentro do seu estabelecimento. Mas, por qual motivo é tão importante fazer uma gestão de estoque?

Os resultados podem ser a resposta principal dessa pergunta. Quando você observar melhor todas as perdas ou prejuízos por simplesmente não ter feito um bom controle sobre seus produtos, facilmente perceberá sua importância. Mas para que você entenda melhor, veja algumas razões:

  • Diminui a incidência de perdas, sejam elas por roubo ou vencimentos dos prazos de validade
  • Cria uma boa experiência ao usuário quando ele encontra o produto na prateleira
  • Você tem um controle maior sobre a parte financeira quando faz uma boa gestão do estoque
  • É possível prever algumas necessidades como compra e reposição

Uma ferramenta muito utilizada para a assertividade nessa gestão é a Curva ABC, e ela se baseia no princípio de Pareto, um estudo que revela que, 80% das consequências vêm, geralmente, de 20% das causas. E como isso se aplica a gestão de estoque? Ele permite uma maior identificação dos produtos que devem ser priorizados na estratégia de vendas.

A tecnologia aqui será uma grande aliada na automatização desse processo. Com as informações reunidas em um só lugar, tudo é registrado para que o gestor tenha controle sobre a quantidade de mercadoria no estabelecimento e no estoque, ou da necessidade de reposição.

2. Evite Rupturas de Estoque

A ruptura de estoque é um dos principais motivos pelo qual o cliente de uma mercearia ou pequeno mercado procura a concorrência. O resultado para essa conta é simples: se você não tem o produto na prateleira no momento exato no qual o seu consumidor precisa, certamente ele irá procurar em outro lugar.

De acordo com o Boletim do Sebrae, A gestão de estoque como vantagem competitiva, cerca de 32% dessa ruptura de estoque no varejo é causada por uma quebra de gestão, que consiste em problemas na validade de produtos, danificações causadas por funcionários e clientes, além de furtos e violações de embalagens.

Embora seja esperado que mercados tenham uma certa porcentagem de rupturas de estoque, é importante focar em estratégias capazes de minimizarem a sua ocorrência e, consequentemente, os prejuízos que ela traz, principalmente para mercearias e pequenos mercados.

Por este motivo, voltamos um pouco na dica anterior, pois é imprescindível que se invista em organização e planejamento, aliado a um sistema que integre todas as informações do seu estoque, melhorando a visualização dos produtos e facilitando a gestão.

Não deixe faltar itens de alto giro, saiba reconhecer quais as mercadorias que representam a maior parte das vendas e a demanda de cada produto, e não deixe de levar em conta a sazonalidade e como ela interfere no consumo dos clientes.

Uma técnica que pode ser aplicada para contornar o problema da ruptura de estoque é o SKU, Unidade de Manutenção de Estoque, que consiste em gerar códigos, formados por letras e números, que identificam os produtos que estão em depósito e disponíveis no mercado. Essa ferramenta torna a gestão de estoque mais controlada, agilizando reposições e diminuindo erros.

3. Como anda o Layout da sua loja?

Saber diminuir as rupturas e fazer uma boa gestão de estoque é muito importante para a saúde financeira de uma mercearia, mas o que adianta possuir os produtos de maior demanda do mercado se eles não estiverem organizados de uma forma estratégica e que dê uma boa visualização para os clientes?

Embora mercearias e pequenos mercados tenham um desafio maior quando se trata de layout, por possuírem uma certa limitação de espaço, existem formas de contornar isso, fazendo com que o seu comércio entregue aquilo que o cliente deseja.

Uma das maneiras mais fáceis de melhorar o layout é através da divisão do mercado em setores, ou seja, fazendo áreas de produtos específicos, como açougue, hortifruti e produtos de limpeza, por exemplo. A orientação da indústria alimentícia é ter sempre uma seção separada para cada segmento, pois isso faz com que o cliente tenha maior facilidade na hora de encontrar o produto que deseja.

Além disso, saber posicionar os produtos, colocando-os de forma estratégica nas prateleiras, é importantíssimo. Produtos com maior estoque e saída devem ficar na altura dos olhos, entre 1,3m e 1,7m de altura, e produtos de preços mais baixos ou que possuem menor estoque e saída devem ficar nas prateleiras mais baixas ou mais altas.

Produtos que possuem ligações entre si, como macarrão e molho de tomate, devem ficar próximos. Essa técnica recebe o nome de Cross marketing, onde a organização dos seus produtos irá induzir a compra conjunta deles. Outras ações que podem ser feitas são:

  • Posicionar as gôndolas de forma que não atrapalhe a passagem dos clientes entre elas
  • Investir em Visual Merchandising, criando um ambiente confortável e que se adeque ao perfil do seu cliente, fazendo com que a experiência dele durante as compras seja agradável
  • Manter o estoque organizado para facilitar as reposições de itens que estão acabando nas prateleiras

4. Use a Tecnologia a seu favor

Saber utilizar a tecnologia a seu favor não é mais um diferencial no mercado, mas uma obrigação. De acordo com a edição de 2017 do Retail Vision Study, 70% dos varejistas estavam dispostos a investir em tecnologia até 2021. Hoje, com a pandemia do coronavírus, esse processo foi acelerado, sendo necessário ingresso imediato em ferramentas digitais para a manutenção dos negócios.

A verdade é que a inovação digital pode acontecer em diversas esferas da gestão de um varejo, desde o auxílio da otimização da rotina operacional dos mercados até a manutenção e aprimoramento da relação do seu comércio com o cliente.

Na parte operacional, o uso de sistemas como WMS, Sistema de Gerenciamento de Armazém, ou a integração de um ERP com um PDV, é o mais recomendável para a automatização dos processos de gestão, pois facilita o gerenciamento de todas as movimentações internas de produtos, das vendas, do estoque e até da parte financeira do mercado. O uso desses softwares podem diminuir erros operacionais, tornando a gestão dessas ações mais assertiva.

Além disso, saber utilizar a tecnologia a seu favor é também ocupar espaços na internet para se conectar com os seus clientes. Seja através de um site, de uma rede social, de um blog ou de uma conta comercial no WhatsApp. Mercearias e pequenos mercados, em sua maioria, já possuem um público fixo, e usando essas ferramentas você consegue gerar uma relação de maior proximidade com eles, aprimorando e mantendo essa rede de contatos.

5. Conheça os seus Clientes

Conhecer o perfil das pessoas que compram na sua mercearia é importantíssimo para diversos tipo de estratégias dentro da gestão, desde a criação de um ambiente de compras que se adeque ao perfil do seu cliente até mesmo na decisão de quais produtos devem ocupar as suas prateleiras.

Para compreender melhor essa questão, imagine que você possua duas mercearias, uma em um bairro onde os moradores possuem maior poder aquisitivo e outra em um bairro de classe média. Os produtos e marcas que terão mais saída em uma provavelmente serão diferentes da outra, e isso está altamente ligado ao tipo de perfil atendido por cada mercado.

Saber quem é o seu cliente e o que ele precisa é primordial para oferecer o melhor serviço, e a pesquisa de mercado pode ser uma excelente forma de encontrar respostas dos desejos do seu consumidor. Portanto, faça entrevistas ou distribua questionários no caixa da loja que colha dados de consumo.

Através dessas informações sobre preferências, hábitos de consumo e desejos futuros, fica mais fácil traçar padrões de perfil dos seus clientes e se posicionar de forma a atender as necessidades que eles apresentam. Com certeza, uma boa estratégia de público alvo é a maneira mais eficaz de fidelizar o cliente ao seu negócio.

6. Busque Bons Fornecedores

Para que um mercadinho possa crescer e se desenvolver de maneira eficiente, uma grande variedade de mercadorias e produtos precisam estar bem estocados e sempre à disposição. É aí que entra a gestão de fornecedores, que fazem desses processos um caminho mais fácil de ser percorrido.

Ter um bom relacionamento com o seu fornecedor pode te ajudar não só a encontrar o melhor preço, mas a criar uma segurança e parceria que vai resultar em uma facilidade nas negociações, entrega e na qualidade dos produtos. É neste cenário que você possui um diferencial competitivo, principalmente no período de pandemia, onde os setores do pequeno comércio sofreram quedas significativas.

Quando você encontra, em uma boa parceria, fornecedores com que é possível crescer em conjunto e que tenham uma boa capacidade e conhecimentos técnicos, produtivos e financeiros, é possível ter bons resultados em sua gestão.

Sem contar que fornecedores parceiros no pequeno varejo dão todo o suporte necessário, seja com dicas valiosas para você não sofrer com compras erradas e estoques altos ou com ferramentas importantes para que movimentos positivos sejam feitos em seu negócio.

7. Um Olhar Atento para a Concorrência

No Brasil, somente cerca de 0,7% dos empreendedores, em seus anos iniciais, têm inovação de processos em seu negócio, e esse é um diferencial competitivo que, se feito com um olhar sobre a concorrência, pode te colocar em evidência no mercado.

Tão importante quanto conhecer bem o seu concorrente, é acompanhar de perto todas as ações deles para que você consiga se diferenciar e se sobressair. Criar outros diferenciais competitivos, sejam eles na oferta de produtos ou até mesmo em um determinado serviço oferecido, é o que vai garantir o sucesso do seu negócio.

É preciso estar sempre atento, tanto a concorrentes diretos quanto a indiretos, acompanhando tudo o que há de novo em seu segmento. Para isso, é necessário ter um conhecimento profundo do mercado no qual você está inserido, então, não se engane: o crescimento virá sempre de um estudo constante sobre seu negócio e de quem está ao redor.

8. Crie uma boa Experiência de Compra

De acordo com uma pesquisa feita pela NOVAREJO, cerca de “75% dos consumidores compram mais se o ambiente for agradável”. Isso se dá pelo conforto que o cliente sente ao estar naquele local, o fazendo ficar mais e, consequentemente, tendo mais tempo para olhar outros produtos e decidir pela compra.

Fazer uma rádio própria da sua mercearia, que agrade o seu perfil de cliente, organizar o layout da loja de forma com que os produtos sejam rapidamente identificados e investir em uma boa iluminação, são alguns dos primeiros passos para tornar o ambiente mais confortável para o consumidor.

Além disso, investir em um espaço gourmet ou fazer campanhas de degustação de determinados produtos também podem influenciar na construção de uma boa experiência de compras para o seu cliente.

Lembre-se que os consumidores tendem a se encantar com experiências mais personalizadas, e criar um ambiente mais confortável para o seu momento de compras é a chave para fidelizá-los.

9. Fique Atento às Finanças

Todo e qualquer negócio deve ter uma atenção especial com a parte financeira da empresa. Se a a ideia e propósito são o coração do negócio, o financeiro é o cérebro que faz tudo funcionar melhor.

Para garantir a saúde financeira da sua mercearia é necessário ir além de somente se preocupar com fluxo de caixa, é importante reduzir perdas e gastos desnecessários, mas também saber investir em melhorias que irão aumentar o seu ganho. Algumas das ações que podem te ajudar a melhorar o controle do seu setor financeiro são:

  • Criação de um planejamento financeiro
  • Monitoramento de gastos
  • Redução de custos
  • Registro do lucro diário
  • Separação do dinheiro da empresa e do pessoal
  • Pagamento de dívidas antes da data de vencimento
  • Investimento em estratégias de atração de clientes

Além disso, o uso de softwares de gestão podem auxiliar o seu controle financeiro de forma mais organizada, diminuindo possíveis erros de cálculo que são comuns quando se é feito de maneira manual. Lembre-se que uma boa gestão financeira facilita todos os outros setores da empresa.

10. Pense na Divulgação do seu Negócio

Por fim, você pode ter seguido todas as dicas acima, mas sem uma boa estratégia de divulgação, principalmente se o seu negócio for novo, fica difícil atrair novos clientes e fidelizar os que você já possui.

Para conseguir planejar onde e como divulgar o seu negócio, é preciso voltar na dica 5 deste texto, onde falamos sobre conhecer o seu público. Não existe estratégia de divulgação bem executada sem que antes o perfil do seu cliente seja analisado, conhecendo suas preferências e hábitos de consumo.

Hoje, com o boom das redes sociais, muitos comerciantes acreditam que a única forma de divulgação se prende à elas, mas, embora seja a maneira mais barata e mais popular, se o seu público for composto por pessoas mais velhas, por exemplo, também vale a pena investir em outros canais de divulgação, como carros de som e flyers.

Mas investir em outros canais não significa, de maneira alguma, se afastar da internet. Hoje, a sociedade tem se tornado cada vez mais digital, e o número de pessoas que pesquisam sobre um comércio para extrair informações sobre ele é gigante.

Por isso, mantenha atualizado o seu Google meu Negócio, coloque o seu horário de funcionamento durante os dias da semana e feriados, o seu telefone e o seu endereço. Além disso, invista em publicações em redes sociais, mostrando as suas promoções e cartela de produtos.

Lembre-se que a divulgação não serve somente para atrair clientes, mas também para fidelizar os que você já possui. Então, invista em estratégias que divulguem o seu serviço para os seus atuais consumidores. Uma ideia é criar um canal no WhatsApp para avisar que determinado produto que o seu cliente gosta foi reposto ou que alguma sugestão dele foi atendida.

Conteúdos para o seu Negócio: